sábado, 26 de janeiro de 2013

Um país com uma independência forte


A República Democrática Popular da Coreia é globalmente conhecida como sendo um país extremamente independente dada a perseverança dos princípios da independência política, da auto-suficiência económica e da auto-suficiência da sua defesa nacional.

A RDPC tem demonstrado a sua dignidade graças ao poderio da sua política independente.

Quando iniciou a sua luta revolucionária para libertar o seu país da ocupação militar japonesa (1905-1945) Kim Il Sung, o pai fundador da Coreia socialista, elaborou uma linha de revolução democrática anti-feudal e anti-imperialista distinta, adequada especificamente às condições da Coreia. Nos anos após a libertação do país, liderando os esforços para a construção de uma nova sociedade, este adoptou uma democracia progressista de estilo coreano, diferente tanto da de estilo soviético como da de estilo americano, indicando a via que o país deveria seguir na sua revolução e construção socialista, desconsiderando por completo as experiências de quaisquer outros países ou de quaisquer fórmulas já previamente existentes.

A linha de políticas Songun elaborada pelo General Kim Jong Il, portador do ideal e da causa de Kim Il Sung, foi intencional e propositadamente independente, tendo assegurado uma defesa viável da soberania e a actual dignidade do país graça aos esforços dos coreanos num mundo no qual as mobilizações da agressão e da arbitrariedade da super-potência imperialista atingiram um novo extremo.

Em toda a sua História a RDPC rejeitou resolutamente a intervenção e a pressão exercida pelos chauvinistas das grandes potências, mantendo-se firmemente independente e insistindo que nas relações internacionais podem existir países grandes e pequenos mas não existem nações de primeira e nações de segunda. Muitos países socialistas colapsaram praticamente na mesma altura por se sujeitarem à vontade de terceiros, contudo a Coreia socialista manteve a sua solidez de sempre.

Nos anos mais recentes a RDPC efectuou o lançamento de satélites artificiais fazendo face à pressão exercida pelos grandes países contra os legítimos direitos de um Estado soberano. Este facto por si só demonstrou claramente à comunidade internacional a forte independência da Coreia.

A RDPC tem vindo a demonstrar o seu poderio à medida que desenvolve uma economia auto-sustentável.

Desde os primórdios da construção da nova sociedade que Kim Il Sung ergueu bem alta a bandeira da auto-suficiência nacional quanto à elaboração da economia. Quando o país foi reduzido a escombros no decorrer da Guerra da Coreia (1950-1953), iniciada pela agressão dos EUA, iniciou a sua via distintiva de construção económica desenvolvendo, de modo preferencial, a indústria pesada e, paralelamente, a indústria ligeira e a agricultura.

Seguindo esta via, a RDPC construiu uma poderosa indústria pesada num curto período de tempo, centrando-se esta na produção de maquinaria pesada e, graças a esta, desenvolveu rapidamente a indústria ligeira e a sua agricultura. Consequentemente, empreendeu a histórica tarefa de se industrializar em meros 14 anos e de estabelecer uma ampla e multifacetada estruturação económica.

Kim Jong Il efectuou um grande esforço na manutenção da economia auto-sustentável da Coreia, fazendo com que esta se fortalecesse recorrendo à tecnologia de ponta. Deu um maior relevo à ciência e à tecnologia como linhas estratégicas para a construção de uma nação próspera e liderou entusiasticamente os esforços nacionais tendo em vista a tecnologia de ponta. Organizou pessoalmente a equipa que desenvolveu as ferramentas para os mecanismos de CNC e lançou a primeira pedra na produção de aparelhos de CNC para alto desempenho.

Graças à sua liderança na produção industrial de maquinaria na RDPC, as indústrias de base modernizaram-se; foram construídas linhas de construção para fertilizantes alimentadas pela abundância de matéria-prima graças à tecnologia de ponta, foi também desenvolvido um novo sistema para a criação de ligas metálicas sem coque de carvão e aparas de ferro; as fábricas de indústria ligeira foram modernizadas; a terra arável de todo o país foi padronizada em grandes parcelas e foram construídas novas condutas gravitacionais de água bem como campos húmidos, dando azo a boas perspectivas quanto a uma melhoria radical na produção agrícola.

A RDPC também obteve sucesso nas suas capacidades para uma defesa auto-sustentada.

Kim Il Sung deu o maior relevo às armas desde os primórdios da sua luta revolucionária, acabando por libertar o país no decorrer da sua triunfante liderança nos 15 anos de conflito armado com os japoneses. Embora estivesse extremamente envolvido na construção de uma nova Coreia deu primazia à criação de um exército; fundou as forças armadas regulares antes mesmo de estabelecer um Estado e lançou as fundações para a indústria da Defesa. Graças à capacidade militar que instaurou a RDPC, com menos de dois anos, no decorrer da Guerra da Coreia conseguiu infligir uma vergonhosa derrota aos EUA, pela primeira vez na História destes, defendendo a sua soberania e a sua dignidade.

Após a guerra Kim Il Sung continuou a enveredar esforços para a consolidação das capacidades de defesa. Seguiu a via de transformar o exército num exército de quadros, modernizou-o, armou o povo e transformou todo o país numa fortaleza e equiparou o desenvolvimento económico à edificação das capacidades de defesa, ambos desenvolvidos por este, aumentando o poderio do Exército Popular da Coreia bem como as capacidades defensivas do país. Os incidentes causados pela aeronave, armada, de espionagem dos EUA, Pueblo, e pelo avião espião dos EUA, EC-121, nos anos 60, bem como muitos outros, todos causados pelos EUA, levaram a um aguçado confronto entre a RDPC e os EUA, culminando sempre com a vitória dos primeiros. Tudo isto fruto da brilhante orientação de uma defesa auto-suficiente.

No final do século passado a política Songun de Kim Jong Il levou a capacidade de defesa da RDPC ao seu expoente máximo. Terminada a Guerra Fria os imperialistas liderados pelos EUA intensificaram a sua mobilização mais hostil contra a RDPC. Como tal, Kim Jong Il deu prioridade ao crescimento do poderio do EPC, tanto política e ideologicamente quanto militar e tecnologicamente. Por intermédia de uma inspecção constante do EPC, maximizou a eficiência deste em combate e frustrou todas as tentativas de agressão por parte do inimigo passo a passo. Desenvolveu a linha da construção económica na era Songun – desenvolvendo a indústria de defesa de modo prioritário e a indústria e a agricultura de modo paralelo.

Sob a sua liderança Songun o EPC transformou-se num exército poderoso, invencível, preparado tanto para o ataque como para a defesa e o país construiu a sua dissuasão nuclear.

Actualmente a RDPC com os seus históricos mais de 60 anos como país com uma independência forte é liderado por Kim Jong Un. No seu primeiro discurso formal em Abril (2012) este anunciou que a RDPC seguiria, como sempre, a via da independência, a via do Songun e a via do socialismo.

A RDPC irá brilhar para sempre como potência independente.

Com tecnologia do Blogger.